EN 221

  • EN 221
  • EN 221
  • EN 221
  • EN 221
  • EN 221

A Estrada Nacional 221 (EN221) é uma das estradas mais bonitas de Portugal.

Este percurso, desde Miranda do Douro no nordeste transmontano, à Guarda, a cidade mais alta do país, atravessa o Parque Natural do Douro Internacional, com vistas panorâmicas deslumbrantes. A EN221 integra também a Rota das Aldeias Históricas, nomeadamente Almeida, Castelo Rodrigo, Marialva e Castelo Mendo, dando também acesso à Grande Rota do Vale do Côa e à Rede de Judiarias – Almeida, Guarda e Celorico da Beira.

Esta estrada única encontra-se ainda inserida na Rota do Vinho do Porto e na Rota das Amendoeiras em Flor.

Descobrir a EN221

No seu troço inicial, a EN221 desenvolve-se segundo a direção do rio Douro, mas a partir da povoação de Castelo Branco, no concelho de Mogadouro, inflete para sul até atravessar o rio junto a Barca d’Alva.

Neste troço de cerca de 43 quilómetros entre Barca d’Alva e Pinhel, a EN221 atravessa uma paisagem pouco humanizada, o que tem permitido a manutenção da estrada sem grandes alterações ao seu caráter original.

Ao longo da estrada podemos verificar a presença de alguns dos seus elementos originais, como a Ponte Almirante Sarmento Rodrigues, sobre o rio Douro, a primeira obra em betão armado projetada em 1955 pelo Eng.º Edgar Cardoso, também conhecida como Ponte Rodoviária de Barca d’Alva.

A ponte sobre a Ribeira de Aguiar, marca a entrada da ER221 (Estrada Regional 221) no Parque Nacional do Douro Internacional. Ao longo da viagem existem ainda alguns miradouros e zonas de paragem que permitem fazer uma pausa e usufruir da paisagem envolvente, que se caracteriza por uma grande amplitude visual. Destaca-se o Miradouro do Alto da Sapinha, com vista panorâmica sobre o Parque Natural do Douro Internacional.

Trata-se de uma paisagem culturalmente muito rica, retalhada nas suas encostas em culturas como a vinha, o olival e o amendoal e matos, pontuada com a presença de arvoredo e de pombais, construções circulares em pedra, normalmente pintadas de branco. A presença de muros secos de granito é também marcante na região, quer em delimitação de terrenos, quer para sustentar as terras, em socalcos.

Este troço encontra-se na sua maioria inserido no Parque Natural do Douro Internacional (PNDI). Apesar de “ter sido criado com o objetivo principal de proteger o fenómeno geológico constituído pelo canhão formado pelos rios Douro e Águeda e a comunidade de aves rupícolas que aí nidifica, o território do Parque Natural do Douro Internacional possui uma enorme riqueza em termos de valores naturais, desde as espécies endémicas da flora às colónias de morcegos, desde os habitats prioritários às aranhas...”

Além do Parque Natural, a EN221 encontra-se também inserida na Zona de Proteção Especial Douro Internacional e Vale do Águeda, a qual “corresponde a uma extensa faixa de terreno que acompanha os percursos fronteiriços dos rios Douro e Águeda. Os vales escarpados e assentes sobretudo em substratos graníticos, que por vezes assumem a forma de “canyon”, são a principal característica do relevo desta zona. (…) Nas encostas alcantiladas, localmente designadas por “arribas”, a composição e estrutura do coberto vegetal reflete o declive e exposição solar dos terrenos (…).

Esta estrada integra a Rota das Aldeias Históricas (GR22), passando por Almeida, Castelo Rodrigo, Marialva e Castelo Mendo. Do mesmo modo, garante o acesso à Grande Rota do Vale do Côa (GR45) e à Rede de Judiarias – Almeida, Guarda e Celorico da Beira. Encontra-se ainda inserida na Rota do Vinho do Porto e na Rota das Amendoeiras em Flor.

EN 2
EN 2
EN 221
EN 221
Estrada Nacional 332
EN 332