Cronologia

Acontecimentos importantes na história do caminho-de-ferro em Portugal.

Inauguração do caminho-de-ferro em Portugal. Troço da Linha do Leste, de Lisboa (Cais dos Soldados, hoje Santa Apolónia) ao Carregado, num percurso de 38 quilómetros.

Inauguração do caminho-de-ferro em Portugal

Abertura à exploração dos troços entre o Barreiro e Vendas Novas, na Linha do Sul e do troço entre Pinhal Novo e Setúbal, na Linha do Sado.

Primeira ligação ferroviária transfronteiriça entre Elvas e Badajoz.

Abertura à exploração da linha de Lisboa à fronteira. Conclusão da Linha do Leste.

Inauguração do edifício de passageiros da Estação Ferroviária de Lisboa-Santa Apolónia. Servia as linhas do Leste e do Norte.

Inauguração Sta Apolónia

Inauguração da Linha de Sintra

Abertura à exploração do troço entre Campanhã e Nine (Linha do Minho) e do Ramal de Braga.

Entrada ao serviço da Ponte Maria Pia, possibilitando a ligação ferroviária entre o norte e o sul do País.

Ponte Maria Pia

Inauguração da Ponte Eiffel, em Viana do Castelo.

Ponte Eiffel

Abertura à exploração do Ramal de Cáceres

Inauguração oficial da Linha da Beira Alta, entre Figueira da Foz e Vilar Formoso.

Inauguração da Ponte Internacional Valença/Tui e abertura à exploração do Ramal entre Valença e a fronteira

Inauguração da Estação Ferroviária de Alcântara-Terra. Abertura à exploração do troço entre Alcântara-Terra e Cacém, na Linha do Oeste, e do Ramal de Sintra (Cacém a Sintra)

Inauguração da Estação Ferroviária de Alcântara-Terra

Abertura à exploração do serviço direto de caminho-de-ferro do Porto a Salamanca por Barca de Alva

Abertura à exploração do troço entre Benfica, Sete Rios, Chelas e Xabregas, na linha urbana de Lisboa

Abertura à exploração do troço entre Leiria e Figueira da Foz. Conclusão da Linha do Oeste

Inauguração do túnel do Rossio a Campolide. O túnel tem uma extensão de 2613 metros.

Inauguração do túnel do Rossio a Campolide

Inauguração da Estação Ferroviária de Lisboa-Rossio, à data Estação Central. Autoria do arquiteto José Luis Monteiro.

Inauguração da Estação Ferroviária de Lisboa-Rossio

Inauguração do Ramal de Viseu (Ex Linha do Dão), que ligava as estações de Santa Comba Dão e Viseu. Foi encerrado em 1989 e convertido numa Ecopista.

Abertura à exploração do Ramal de Leixões

Abertura à exploração do troço entre Covilhã e Guarda. Conclusão da Linha da Beira Baixa.

Abertura à exploração do troço entre Cais do Sodré e Alcântara-Mar. Conclusão da Linha de Cascais.

Abertura exploração troço Cais do Sodré e Alcântara-Mar

Chegada do comboio ao centro do Porto (São Bento). A estação contava com um edifício de passageiros provisório. A ligação a Campanhã, à data Estação do Pinheiro, foi possível graças à abertura de três túneis: Quinta da China, Monte do Seminário e Fontaínhas.

Abertura à exploração da linha férrea de Setil a Vendas Novas

Abertura à exploração do troço entre Tavira e Vila Real de Santo António. Conclusão da Linha do Sul.

Abertura à exploração do troço entre Régua e Vila Real, na Linha do Corgo.

Abertura à exploração do troço entre Coimbra e Lousã. O troço de 6 quilómetros Lousã-Serpins só seria inaugurado em 10 de agosto de 1930, concluindo o Ramal da Lousã.

Conclusão dos trabalhos de ornamentação do vestíbulo central da Estação de Porto – São Bento, com azulejos artísticos da autoria de Jorge Colaço.

Estação de Porto

Inauguração da totalidade da Linha do Vouga

Inauguração do edifício de passageiros da Estação de Porto-São Bento. Autoria do arquiteto José Marques da Silva.

Inauguração edifício passageiros Estação de Porto-São Bento

1ª viagem presidencial de comboio: o Presidente da República Bernardino Machado parte da estação do Rossio para uma viagem internacional que durou 18 dias.

Conclusão da Linha do Algarve com a chegada a Lagos da linha férrea

Inauguração da tração elétrica na Linha de Cascais.

Inauguração da Estação do Cais do Sodré. Autoria do arquiteto Porfírio Pardal Monteiro. No início do século XXI a estação foi ampliada e construídos novos cais de embarque. O projeto de arquitetura de Nuno Teotónio Pereira e Pedro Botelho contemplou a ligação à estação fluvial e do metropolitano.

Inauguração da Estação do Cais do Sodré

Abertura à exploração do Ramal de Tomar.

Inauguração da nova Estação de Lisboa - Terreiro do Paço, projeto do arquiteto Cottinelli Telmo.

Abertura à exploração do troço entre Santiago do Cacém e Sines. Conclusão da Linha de Sines.

Inauguração da tração elétrica da Linha de Sintra e do troço entre Lisboa e o Carregado, por ocasião do Centenário do Caminho-de-ferro.

Inauguração da tração elétrica da Linha de Sintra

Inauguração da eletrificação da linha entre Lisboa e Porto.

Publicação do Decreto-Lei nº 205-B/175 que nacionaliza a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.

Extinção da Sociedade Estoril e transição da Linha de Cascais para a CP.

Inauguração da nova travessia ferroviária do Douro pela Ponte de S. João.

Inauguração da nova travessia ferroviária do Douro

Entrada ao serviço do Sistema de Controlo Automático de Velocidade de Comboios (CONVEL) nas linhas de Sintra e de Cintura.

Entrada ao serviço do Sistema CONVEL

Criação da Rede Ferroviária Nacional, REFER EP, que assume a gestão, exploração e conservação das infraestruturas ferroviárias, e se separa do operador CP.

Inauguração da Gare do Oriente, em Lisboa, da autoria do arquiteto Santiago Calatrava.

Inauguração da Gare do Oriente

Inauguração da travessia ferroviária pela Ponte 25 de Abril e entrada ao serviço do Eixo Ferroviário Norte-Sul, entre as Estações de Entrecampos e do Fogueteiro. Início do serviço do novo operador ferroviário Fertagus.

Inauguração da travessia ferroviária pela Ponte 25 de Abril

Conclusão da quadruplicação da via entre Benfica e Amadora, na Linha de Sintra.

Quadruplicação da via entre Benfica e Amadora

Conclusão da ligação em tração elétrica entre os quatro principais portos do país (Sines, Setúbal, Lisboa e Leixões).

Viagem inaugural da ligação ferroviária direta entre Braga e Faro.

Entrada ao serviço da Fertagus em seis novas estações do Eixo Ferroviário Norte-Sul (Coina, Penalva, Pinhal Novo, Venda do Alcaide, Palmela e Setúbal).

Entrada ao serviço da Fertagus em seis novas estações

Inauguração da Ecopista do Minho entre Valença e Monção, primeiro projeto de requalificação de vias férreas desativadas.

Inauguração da Ecopista do Minho

Inauguração do Ramal do Porto de Aveiro.

Reabertura do Túnel do Rossio após obras de reforço e de reabilitação. Reabertura do edifício da Estação do Rossio e do Largo Duque do Cadaval após obras de remodelação.

Reabertura do Túnel do Rossio

Inauguração da eletrificação Barreiro – Pinhal Novo.

Inauguração do Ramal Ferroviário do Porto de Aveiro.

Abertura à exploração da Variante da Trofa (São Romão-Lousado).

Abertura à exploração da Variante de Alcácer (Linha do Sul).

Abertura à exploração da Variante de Alcácer

Conclusão da quadruplicação da via entre Monte Abraão e Cacém (Linha de Sintra).

Via entre Monte Abraão e Cacém

Criação da Infraestruturas de Portugal (IP) - extinção e incorporação por fusão da Estradas de Portugal na REFER - Rede Ferroviária Nacional.

Inauguração da Linha de Sintra