Avança a ligação à área Industrial de Fontiscos e Ermida, em Santo Tirso

Investimentos
Rodovia
  • Ligação à Área Industrial de Fontiscos e Ermida

O projeto de execução da Ligação à Área Industrial de Fontiscos e Ermida (Santo Tirso), tem como principal objetivo a melhoria das condições de acessibilidade, circulação e segurança da atual ligação entre o Nó da A3 e a área Industrial.

A Infraestruturas de Portugal vai avançar com empreitada para a execução da Ligação à Área Industrial de Fontiscos e Ermida, em Santo Tirso, no âmbito do PRR – Plano de Recuperação e Resiliência, mais concretamente no investimento em Áreas de Acolhimento Empresarial (AAE) – Acessibilidades Rodoviárias.

Com este objetivo foi assinado no dia 18 de julho o contrato para a execução da obra, que envolve um investimento de cerca de 3,2 milhões de euros. 

O projeto de execução da Ligação à Área Industrial de Fontiscos e Ermida (Santo Tirso), tem como principal objetivo a melhoria das condições de acessibilidade, circulação e segurança da atual ligação entre o Nó da A3 e a referida área industrial.  

A solução a desenvolver para o Nó de Fontiscos passa pela transformação dos atuais acessos numa rotunda de nível. Ainda no âmbito da reformulação do Nó de Fontiscos estão previstas vias de articulação à rede municipal tendo em vista a melhoria da gestão de tráfego na zona.

Para o Nó de Ermida, a intervenção passa pela transformação da atual interseção dos ramos a norte da EN104 do referido nó e também por uma rotunda com o devido ajustamento de todos os ramos afetados por esta alteração.

Esta intervenção irá contribuir para:

  • Melhorar as condições de acessibilidade, circulação e segurança da atual ligação entre o Nó da A3 e a Área Industrial de Fontiscos e Ermida;
  • Manter em bom estado de funcionamento, conservação e segurança a Rede Rodoviária Nacional, nos termos e condições estabelecidos nas disposições aplicáveis das bases do contrato de concessão em vigor;
  • Promover e favorecer a conexão do território, minimizando os atuais constrangimentos de tráfego.

A Infraestruturas de Portugal irá remeter o presente contrato para o Tribunal de Contas a fim de obter o necessário Visto Prévio por parte desta entidade. Somente após a concessão do referido visto poderá a empreitada ser consignada e ter início no terreno, o que se estima que possa ocorrer no segundo semestre deste ano.


Plano de Recuperação e Resiliência


Com a assinatura deste contrato, são já seis as empreitadas com contrato assinado no âmbito do PRR, o que, confirma, de forma inequívoca, o empenho da Infraestruturas de Portugal na execução dos investimentos cuja responsabilidade lhe está confiada.

Esta empreitada destaca-se de um conjunto de dez obras já lançadas no âmbito do "Plano de Recuperação e Resiliência” (PRR), que correspondem atualmente a um investimento de cerca de 95 milhões de euros. A primeira destas empreitadas foi já consignada, em março passado, e está em pleno andamento, no caso, na Variante à EN14, entre Maia e Trofa. No final do mês de junho foi consignada a empreitada da Variante a Arruda dos Vinhos e no início de julho a empreitada para a construção do troço do IC35 entre Penafiel e Rans.

Recorde-se também que a IP já assinou os contratos de financiamento com a Estrutura de Missão Recuperar Portugal, que englobam um valor de investimento de cerca de 400 milhões de euros.

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), visa reforçar a robustez social, económica e territorial e acelerar a dupla transição digital e climática.

A IP contribui de forma determinante na operacionalização da Componente Infraestruturas em cumprimento do respetivo objetivo: reforçar a resiliência e a coesão territorial, aumentar a competitividade do tecido produtivo e contribuir para a redução dos custos de contexto.