IP lança o concurso para a 1ª concessão da Linha de Alta Velocidade Porto-Lisboa

Investimentos
Internacional
Ferrovia
  • Fotografia 1
  • Fotografia 2
  • Fotografia 4
  • Fotografia 4
  • Fotografia 5
  • Fotografia 6

Foi lançado esta manhã, na sede da Infraestruturas de Portugal, em Almada, o concurso para o primeiro troço da Linha de Alta Velocidade (LAV) que vai ligar Lisboa e Porto.

Foi lançado esta manhã, na sede da Infraestruturas de Portugal, em Almada, o concurso para a primeira concessão da Linha de Alta Velocidade (LAV) Porto – Lisboa, relativa ao troço entre o Porto (Campanhã) e Oiã.

A cerimónia contou com a presença do Primeiro-Ministro, António Costa, o Ministro da Finanças, Fernando Medina, a Ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, António Mendonça Mendes, do Secretário de Estado Adjunto e das Infraestruturas, Frederico Francisco, do Secretário de Estado das Finanças, João Nuno Mendes e do Secretário de Estado da Mobilidade Urbana, Jorge Delgado, que foram acompanhados por Miguel Cruz, Presidente da Infraestruturas de Portugal, e por todos os membros do Conselho de Administração da empresa.

Durante o evento foram apresentadas as características gerais da futura linha que irá ligar Porto – Lisboa, construída em via dupla na bitola ibérica. As atuais estações ferroviárias existentes ao longo do percurso serão adaptadas, não só para acomodar as composições dedicadas à Alta Velocidade, mas também para a disponibilização de novos serviços adequados aos passageiros. O projeto prevê ainda a construção de uma nova estação ferroviária em Vila Nova de Gaia, na zona de Santo Ovídio. A concretização final do Projeto irá permitir uma redução do tempo de viagem entre as duas cidades, das atuais 2h49 do serviço Alfa Pendular para 1h15 numa viagem sem paragens. Estima-se que o custo de investimento da 1ª Fase do projeto (troço Porto (Campanhã) - Soure) seja de, aproximadamente, 3,7 mil milhões de euros.

Conheça a apresentação do projeto aqui:

Apresentação da Linha de Alta Velocidade Porto-Lisboa

No discurso de abertura, o presidente do conselho de Administração da IP destacou que "(…) o projeto da alta velocidade é não apenas transformacional para o futuro da ferrovia e para um reforço da adesão das populações à ferrovia, como constitui o elemento agregador de uma transformação da mobilidade que possa ser abrangente para o país."

O Vice-Presidente da IP, Carlos Fernandes, esclareceu, mais uma vez, a razão da escolha da bitola ibérica, destacando que "a linha entre Vigo e a Corunha, a linha de alta velocidade do lado espanhol está já construída em bitola ibérica e o governo espanhol manifestou já que não vai migrar essa linha, porque essa linha é usada para um conjunto de  funções dentro da Galiza (…) portanto, se Portugal tivesse decidido fazer a nossa linha em bitola europeia, quando chegássemos à fronteira os comboios não saíam."

A encerrar a sessão, António Costa defendeu que "Este projeto corresponde a uma visão do nosso território, da nossa estratégia de desenvolvimento e da nossa inserção no continente europeu (…) Temos de ter um território competitivo externamente e que seja mais coeso internamente." Nas palavras do Primeiro-Ministro, "(…) a ligação Lisboa – Porto – Braga e Braga – Vigo é absolutamente fundamental também para aquilo que é a lógica que devemos ter na nossa inserção na rede europeia e, desde já na rede ibérica, de alta velocidade."

Veja o vídeo da transmissão da sessão de lançamento do concurso:

Saber mais - Linha de Alta Velocidade (LAV)

Medidas Preventivas da LAV Porto - Soure

Notícias relacionadas