Preservação de Património - Reabilitação e restauro de painéis azulejares

Elemento decorativo presente em inúmeras estações ferroviárias, o azulejo tem merecido especial atenção não só no que diz respeito à sua salvaguarda e preservação, mas também na sua recuperação e qualificação, contribuindo assim para a valorização do património ferroviário.

Neste sentido foi concluída recentemente uma intervenção de conservação dos painéis azulejares figurativos, da autoria de Eduardo Nery, na Estação de Contumil, na Linha do Minho.

Com idêntico propósito, e em resultado de um Protocolo estabelecido com a Câmara Municipal de Ovar, decorrem na Estação de Ovar trabalhos de conservação e restauro dos painéis decorativos que revestem a fachada do edifício de passageiros, cuja conclusão se estima a curto prazo. No quadro deste Protocolo será ainda desenvolvida uma intervenção do mesmo teor na Estação de Esmoriz, a levar a cabo no segundo semestre do ano.

Neste mesmo âmbito foi já lançado um concurso para a execução de trabalhos de restauro dos painéis de azulejos da Estação de Elvas, na Linha do Leste. Inserida num perímetro de elevado valor patrimonial e cultural, esta Estação é revestida por 44 painéis de azulejos, acrescentando-lhe valor estético, histórico e cultural. Destes 44 painéis, 20 são figurativos e 24 do tipo padrão, totalizando cerca de 5 710 peças.
Os azulejos datam de 1933, e foram produzidos na fábrica de cerâmica Constância e na oficina de Leopoldo Battistini.

Ainda no decurso de 2015 será lançado idêntico procedimento para o restauro dos painéis azulejares de diversas estações da Linha do Oeste: Mafra, Outeiro, Bombarral, Caldas da Rainha, Valado, Óbidos e Leiria.